Coisas para fazer nas imediações

O Arco do Triunfo

O arco foi desenhado pelo arquiteto Jean-François Chalgrin, por encomenda de Napoleão I, para comemorar as vitórias do exército francês. Iniciadas em 1806, as obras da construção levaram mais de trinta anos e foram concluídas no reinado Luís Filipe. Com sua arquitetura majestosa, inspirada na antiguidade, o Arco está situado no centro da Place de l'Étoile, de onde domina a Avenida Champs-Elysées.
Os pedestais possuem altos-relevos alegóricos por Cortot, Etex e Rude, incluindo a famosa “Marseillaise”.
Localizado no meio do caminho entre o Louvre e Grande Arche de la Défense, é um elo entre a antiga e a nova Paris.

Taxa de entrada 2012: EUR 7

A Avenida Champs-Elysées

Os Jardins das Tulherias foram projetados por André Le Nôtre, arquiteto do Rei Luís XIV.
Começando do Palais de Tuileries, o centro que ele traçou e que se tornou, mais tarde, os famosos Champs-Elysées, permitiu ao Rei Sol seguir o curso do sol pelo céu e vê-lo tocar o horizonte em sua extremidade oeste.
Não é de se admirar que esta avenida, estendendo-se de la Place de la Concorde à Place Charles de Gaulle – Etoile, obteve um futuro tão brilhante e visionário.

 

O Grand Palais

Construído para a Feira Mundial de Paris de 1900, abriga o Museu Palais de la Découverte, dedicado às ciências e suas aplicações (aberto em 1937), as Galerias Nacionais do Grand Palais, onde são realizadas exibições de artes internacionais (aberto em 1964), e a nave, hoje restaurada, recebendo eventos culturais e outros.

Endereço: 1, avenue du Général Eisenhower, Paris 75008

O Petit Palais

Construído para a Feira Mundial de Paris de 1900, foi inaugurado como um museu em 11 de dezembro de 1902, sob o nome de Palais des Beaux-Arts de la Ville de Paris. Em uma área verde perto da avenida de Champs-Elysées, é parte de um complexo arquitetônico monumental que inclui o Grand Palais e a Ponte Alexandre III.

Foi inteiramente renovado e remodelado de 2001 a 2005.

Endereço: 5, avenue Dutuit, Paris 75008

O Palácio de Chaillot

É o lar do museu de antropologia Musée de l’Homme, do Museu do Cinema, da Cinémathèque, do Teatro Nacional Chaillot e do Museu Nacional da Marinha. Com origem em uma coleção oferecida a Luís XV, o último hospeda exibições permanentes e temporárias tematizadas em torno da história da marinha francesa.
Projetado por Azema, Carlu e Boileau, o palácio foi construído para a Feira Mundial de Paris de 1937. Possui duas asas curvas que apontam para o rio Sena com uma vasta esplanada, l’Esplanade des Droits de l’Homme, entre entre elas. A Torre Eiffel e os Champs de Mars ficam logo abaixo. O Palácio Chaillot substituiu o Palácio Trocadéro de inspiração moura. Datado do ano de 1878, deve seu nome ao forte de Cadix.

A Igreja Saint-Augustin

A igreja foi construída entre 1860 e 1871 na área Petite-Pologne (agora Praça Saint-Augustin), no 8o distrito de Paris. Sob o Segundo Império, com um influxo demográfico, passa por grandes obras de construção, conduzidas pelo prefeito Haussmann. Um novo plano da avenida em linha reta exigiu edifícios sofisticados nos cruzamentos das ruas. Napoleão III escolheu a igreja para abrigar o sepulcro para príncipes da família imperial, enquanto os restos mortais de imperadores e imperatrizes eram colocados para descansar na Basílica de Saint-Denis.

Endereço: 5, avenue Dutuit, Paris 75008

Os Jardins do Trocadéro

Criados para a Feira Mundial de Paris de 1878, eles então se estenderam na frente de um palácio hispano-mouro, substituído pelo Palácio de Chaillot em 1937. Apreciado tanto por pedestres como patinadores, suas aleias e ladeiras oferecem vistas excelentes da Torre Eiffel. No verão, os parisienses se refrescam em volta das famosas Fontes de Varsóvia (construídas em 1937), que possuem uma grande bacia central dominada por uma série de tanques e cascatas que, com 20 jatos d'água, oferecem uma exibição aquática extraordinária.

O Museu de Arte Moderna

Instalado no edifício do Palais de Tokyo, projetado para a Exibição Internacional de Artes e Técnicas em 1937, o Museu de Arte Moderna abriu em 1961. Tendo recebido suas principais participações das coleções “modernas” do Petit Palais, o museu foi dotado por colecionadores de arte, como Emanuele Sarmiento, Mathilde Amos, Ambroise Vollard.
A coleção do museu possui mais de 8000 obras de arte, representando vários movimentos artísticos do século XX. Hoje, os eventos mais populares do museu incluem exibições com temas em torno de grandes artistas europeus e tendências de arte do século XX, exibições monográficas e com base em tema.

Endereço: 11 avenue du Président Wilson, 75116 Paris

Museu do Quai Branly

Desenhado pelo arquiteto Jean Nouvel, é dedicado à arte primitiva da África, Ásia, Oceania e América.
A coleção do museu conta com umas 300.000 manifestações, das quais a maioria vem do Musée de l’Homme (250.000 itens do laboratório de etnologia) e do Musée National des Arts d’Afrique et d’Océanie (25.000 itens).
Durante o século XX, artes não-ocidentais começaram a estar amplamente presentes nas coleções do museu, com o advento de artistas cubistas e fauvistas, influenciados por escritores e críticos de Apollinaire a Malraux, e no despertar de obras de grandes antropólogos, como Claude Lévi-Strauss.
Sob o alto patrocínio da UNESCO, o Museu do Quai Branly oferece uma gama completa de pontos de vista, desde os dos antropólogos aos dos historiadores de arte, sobre civilizações cujos patrimônios culturais tendem a ser relegados a uma segunda ordem em uma escala cultural global.

Endereço: 37 quai Branly, 75007 Paris

Museu Guimet de Arte Asiática

O museu é a ideia original de Emile Guimet (1836-1918), industrialista de Lyon que desenvolveu o grande projeto de abrir um museu dedicado às religiões do Antigo Egito, Antiguidade Clássica e Ásia. No decorrer de suas viagens, ele adquiriu extensas coleções de objetos que colocou à mostra em um museu aberto em Lyon em 1879. Mais tarde, essas coleções foram transferidas para um novo museu que ele tinha construído e que foi inaugurado em 1889.
A partir de 1945, durante uma reorganização massiva das coleções de artes nacionais francesas, o Museu Guimet transferiu suas peças egípcias para o Louvre e, em troca, recebeu toda a coleção de obras do Departamento de Artes Asiáticas do outro museu.
Desde então, o Museu Guimet, localizado na Place d'Iéna, tornou-se um dos principais museus de arte asiática do mundo.

Endereço: 6, place d’Iéna, 75116 Paris

 

O Museu Dapper – “Um centro artístico e cultural para a África, Caribe e suas Diásporas”

O museu foi instalado em uma residência particular por Charles Plumet no início do século.

Endereço: 35 rue Paul Valéry, Paris 16

O Museu Marmottan-Monet

Estabelecido em 1934, o museu está instalado em uma linda mansão do século XIX cercada por um jadim. Um antigo alojamento de caça, esse edifício em estilo imperial se destaca de forma fantástica em uma configuração arquitetônica mais recente. Com seu visual e sensação de uma residência particular e as muitas peças de arte que abriga, foi deixado como herança para o Institut de France por Paul Marmottan (1856-1932), um historiador e colecionador de artes francês.
Tendo recebido vários importantes legados, o museu abandonou sua vocação original e se tornou um dos pontos impressionistas populares em Paris. Hoje, seu generoso interior, misturando ouros, mármores e essências preciosas, abriga pinturas impressionistas sublimes de Monet e seus amigos.

Endereço: 2 rue Louis-Boilly, 75016 Paris France

 

Palácio Galliera – o Museu da Moda e História da Moda

Instalado em um palácio do século XIX uma vez propriedade da duqueza de Galliera, o museu, inaugurado em 1977, recebe presitigiosas exibições temporárias que dão vida à história da moda. Uma fascinante visão compenetrada na coleção de 90.000 peças do museu, estão presentes abundantes roupas dos séculos XVIII e XIX, peças de grandes costureiros e designers bem conhecidos, testemunhando três séculos de história da moda.

O museu só está aberto para exibições temporárias.

Endereço: 10 avenue Pierre 1er de Serbie, Paris 16

O Museu da Falsificação

Instalado em um prédio tombado na Rue de la Faisanderie em Paris, foi estabelecido em 1951 pela Union des Fabricants, uma organização de fabricantes. O museu oferece aos visitantes uma visão geral da falsificação, sua propagação e impacto na economia global. Ele promove a consciência de questões tão importantes, como a proteção de direitos de propriedade industrial e as penalidades impostas por crimes relacionados a falsificação. Único em seu tipo, exibe uma variedade de itens extremamente ampla, emparelhando cada falsificação com seu original autêntico, para que os visitantes possam destingui-los: figuras de bronze de Rodin, perfumes, tabaco, dicionários, software, CD’s/DVD’s, brinquedos, ferramentas, aparelhos domésticos, produtos de limpeza, tecidos, mercadorias de couro, louça, peças automotivas, canetas etc.

Endereço: 16 rue de la Faisanderie, Paris 16

Casa de Balzac

No coração da antiga comuna de Passy, esta é a única residência de Balzac que ainda existe. Esse é o lugar onde o romancista francês morou de 1840 a 1847, imaginou La Comédie humaine e escreveu alguns dos seus mais lindos romances, como La Rabouilleuse, Splendeurs et misères des courtisanes, La Cousine Bette e Le Cousin Pons. Adquirida pela Cidade de Paris em 1949, foi convertida em um museu e recebeu uma biblioteca mais tarde. Contendo manuscritos originais, ela oferece uma visão aprofundada da vida e obra de Balzac.

Endereço: 47 rue Raynouard, Paris 16

O Museu do Vinho

Uma vez um local de pedreiras medieval, o lugar foi convertido em adegas pelos irmãos Mínimos do Mosteiro de Passy. Propriedade da irmandade do vinho Conseil des Echansons de France, o museu abriu ao público em 1984. Ele exibe ferramentas e objetos relacionados ao cultivo e fabricação do vinho. A tarifa de entrada inclui uma taça de vinho para degustar.

Endereço: 5 square Charles Dickens, 75016 Paris

A Torre Eiffel

Medindo 324 metros, a impressionante “Dama de Ferro” tem uma vista panorâmica dos Jardins do Trocadéro. Projetada por Gustave Eiffel, foi construída para a Feira Mundial de Paris para comemorar o centenário da Revolução Francesa. Inaugurada em 31 março de 1889, a Torre Eiffel levou mais de 2 anos para ser construída e se tornou um símbolo de Paris.

Tarifa de entrada 2012: EUR 13,40 (elevador para o andar de cima).

Bom saber: Toda noite, a Torre Eiffel se acende dourada e cintila por 5 minutos a cada hora em ponto, da hora que as luzes se acendem até 1 hora.

O Museu de Cristais de Baccarat

O museu de cristais de Baccarat recebe seus visitantes a um de seus últimos armazéns parisienses do século XIX. As peças de cristal em exibição mostram as feitos técnicos e estilísticos que ganharam a reputação de Baccarat. O Museu se baseia em torno de importantes obras produzidas para Feiras Mundiais e pelas quais Baccarat recebeu cada vez as mais altas premiações: medalhas de ouro e grandes prêmios.

Endereço: 11 Place des Etats-Unis, Paris 16